7 Sinais que você realmente perdoou



Em Marcos 11:25,26 Jesus disse: E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.

Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas.

Parei alguns dias para estudar sobre perdão, com isso fiz algumas anotações que considero importantes. Quero com isso citar Sete provas que existe em um coração que realmente perdoou alguém.

Prova número um - Você não conta para ninguém o que eles fizeram com você.

Os 11 irmãos vierem a José e ele soube quem eles eram. Ele diz, todo mundo fora. Todo mundo sai da sala agora, e José fica sozinho com os irmãos. Por que ele fez todo mundo sair? A resposta é que ele vai convencer os seus 11 irmãos para voltar a Canaã e trazer a familia completa.


Ele sabe que a fome vai continuar. Ele quer garantir que ninguém no Egito saiba o que seus irmãos fizeram com ele. Se os egípcios descobrir, ele sabe que os irmãos serão mal tratados no Egito. Quem perdoa, deseja o bem, planeja o bem. Ele revela sua identidade a seus irmãos. José sabe que ele é um herói no Egito. Ele quer que seus irmãos e toda sua família sejam heróis. Ele quer que todos no Egito os amem e sabe se a palavra vazar, não será bom.


Prova número dois - Não deixe que eles tenham medo de você.

Veja bem, esses 11 irmãos estavam aterrorizados. No momento em que José abre a boca, fala na língua deles e diz, ‘eu sou José’, eles ficam assustados!


A primeira coisa que José faz é dizer: chegue perto de mim. Venha perto de mim. Ele quer amar neles. A última coisa que ele quer é que eles tenham medo, e quando você perdoa totalmente, você não quer que a outra pessoa fique nervosa ao nosso redor, tenha medo, mas você quer que a pessoa sinta bem.


Mas talvez você pode dizer: eles não merecem isso. Não estamos perguntando se eles merecem ou não. É o que você pensa deles, e quando você perdoa totalmente, você não quer instilar medo neles.

No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. 1 João 4:18

Prova número três - Você nem deixa que se sintam culpados.

Ele disse: eu sou o seu irmão José. Sim, sou eu quem vocês vendeu. E José disse: Não fiquem zangados consigo mesmos. Veja bem, ele sabia que eles tinham problemas para se perdoar, e quando facilitamos o perdão da outra pessoa, isso é verdadeira piedade. Você quer saber o que é piedade?


A piedade é quando você tem o coração de Deus, que é misericordioso. Você já disse a uma pessoa: bem, eu espero que você se sinta mal pelo que fez. Eu te perdoo, mas espero que você se sinta mal. Você não perdoou totalmente quando ainda quer que se sintam mal. Perdão é quando você deseja libertá-los. Deus nos liberta.

Prova número quatro - Você os deixa salvar a cara.

Essa é uma expressão oriental. Isso significa que você os protege e evita que eles pareçam ruins ou os protege e evita que se sintam mal por si mesmos. Por exemplo, você pode esfregar o nariz dele e fazê-los se contorcer ou ignorá-lo de tal maneira que você os cubra e faça com que se sintam bem. José disse: Vai ter fome na terra por mais cinco anos. Quero que todos vocês venham morar no Egito comigo, e não quero que fiquem com raiva de si mesmos porque Deus fez isso. Deus fez isso. De fato, José está se referindo ao fato de que seu avô, Abraão, foi informado de que sua semente estaria saindo do Egito. Bem, isso significa que alguém teve que chegar primeiro ao Egito e Deus disse: Hum, José, você vai primeiro. José disse: Cheguei aqui primeiro, para sermos preservados dessa grande fome. Você não fez isso. Deus fez isso.

Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Romanos 8:28:

Prova número cinco - Você os protege do segredo mais negro deles.

Você sabe a historia, os irmãos pegaram José, tiraram a capa colorida, mancharam de sangue de um animal, e levou ao velho Jacó dizendo que alguma besta do campo havia matado José.

Agora eles vão ter que voltar ao Egito e contar a Jacó? Eles podem ter tido pensamentos repentinos de que, bem, José pode ter nos perdoado, mas ele vai nos fazer voltar para Canaã e contar a nosso pai o que realmente aconteceu.

José não faz isso, mas ele diz o que eles devem contar ao seu pai Jacó: Diga ao nosso pai, que agora sou primeiro ministro do Egito, que vai haver fome na terra, e venha viver aqui comigo. José não mandou eles falar o segredo, pelo contrario. Isso é perdão. Pois há momentos que dizemos, eu perdoo, mas quando o nome da pessoa aparece, corremos para dizer o que ela fez, então, não é perdão verdadeiro.

Prova número seis - O perdão é para sempre.

O que isso significa é que você deve cumprir enquanto viver. Jacó morre, e os irmãos de José pensa, agora ele vai vingar, papai morreu, e José vai vingar. Você diz, bem, uma vez é suficiente. Eu apenas perdoei. Eu ando citando Jeremias 17:9 com frequencia, que diz: Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?


Você perdoa, mas poucos dias depois vem na memória o que fizeram com você. Você os perdoa hoje e se sente bem com isso. Depois você acha que eles estão fingindo. Mas José diz para eles, calma, eu perdoei vocês 17 anos atrás, e perdoo vocês agora.

Perdoar 490x7, lembra? Você diz que perdoa, uma semana depois, alguma coisa em nosso pensamento nos leva de volta à ofensa original e redescobrimos o antigo ressentimento. C.S. Lewis diz que é por isso que precisamos perdoar o nosso irmão setenta vezes sete, ou seja: 490 vezes. Mas isso não tem a ver com o número de crimes cometidos. Setenta vezes sete não são 490 ofensas diferentes: é uma mesma ofensa que continuamos a perdoar 490 vezes — ou seja, sempre que a nossa mente é atormentada por querer voltar ao mesmo sentimento de raiva e de ódio.

Prova número Sete - Você os abençoa.

José diz: Vou cuidar de vocês. Vocês não precisam se preocupar. E é isso que acontece quando você chega ao local em que pode abençoar seu inimigo e, como Jesus, o pai os perdoa e ora pelas pessoas que o machucaram e pede a Deus que os abençoe.

As vezes dizemos, Senhor, abençoe meus inimigos, mas e se Deus realmente decidir abençoar seus inimigos? Qual será seu sentimento?


Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas. Marcos 11:25,26