#13 Nenhuma frustração



6 Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo. 2 Tm 4:6

Quando as pessoas sabem que estão no fim de suas vidas, geralmente, elas relembram muitas coisas do passado. A mente meio que volta a recordar vários detalhes da vida.

  • Alguns ficam satisfeito pelas memórias, realizações e conquistas.

  • Já outros se veem em um estado de total “frustração”.

Alguém, sabiamente, disse que muitos têm a tendência a relembrar o passado, sentindo-se vítima de tudo o que aconteceu. É a síndrome de vitimização que entra em ação na hora da morte.


Quais são as síndromes na hora da morte?

Na verdade, na velhice, a hora da morte consiste na soma de todos os eventos de uma vida, que, no final, não podem ser mudados. O que foi, foi. Às vezes, é preciso 60, 70, 80 anos para criar um ser frustrado que está quase morrendo. Alguns, ainda com o desejo de ter vivido uma vida diferente, ter feito coisas diferentes, ter sido diferente.

O apóstolo Paulo teve todos os motivos para se sentir assim: frustrado! A lista de sofrimentos de Paulo era gigantesca. Frequentemente, a gente se sente rejeitado, magoado, frustrado, e nos esquecemos de que muitos líderes da Igreja e o próprio Jesus Cristo enfrentaram tudo isso. Entretanto, o sentimento de frustração não invadiu o coração de Paulo.

Agora, Paulo chega ao final da sua trajetória, com todos os motivos do mundo para entregar os pontos e se render à frustração.

Paulo disse: 6 Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício e o tempo da minha partida está próximo.

Aspersão era uma palavra comum para os judeus, mas não tão comum em nossa linguagem atual. Aspersão é o sacrifício no qual há derramamento de sangue. Paulo usa essa expressão, como que para dizer: “Não há mais nada em mim, estou totalmente entregue, todo o meu ser foi já foi, não há mais nada em mim para ser entregue a Deus.”

Será que há algo mais belo do que uma morte assim? Totalmente entregue, rendido?

No restante do capítulo 4 de 2 Timóteo – como qualquer pessoa no fim –, ele relembra alguns momentos, acompanhe:

Olha o que ele disse:

- Procura vir ter comigo depressa.

  • Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica, Crescente para Galácia, Tito para Dalmácia.

  • Trófimo ficou doente em Mileto.

- Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras.

Paulo lembra dos males, das intrigas, dos desafios. Mas ele não está frustrado, pois até nesses momentos ele via Deus. Há quem pense que, por termos os frutos do Espírito, nossa vida será de paz para com todos. Que nunca haverá qualquer tipo de conflito. Quero dizer que isso não é verdade, Paulo deixa isso claro.

Certa vez, li algo sobre conflitos, escute:

“Você não tem inimigos, você diz? Aquele que se misturou na batalha não tem como, deve ter feito inimigos. Se você não tiver nenhum é porque o trabalho que você fez foi pequeno. Você não atingiu nenhum traidor no quadril. Você não contrariou nenhum lábio enganoso. Você nunca transformou o errado em certo. Então, você foi um covarde na luta.” — Charles Mackay


Paulo disse: “Se possível, mantenha a paz com todos”… mas nem sempre é possível. Porém, apesar das fases difíceis, entregue-se de coração e alma às causas do Reino, para que, no fim dos seus dias, você possa olhar para trás e sentir contentamento.